Soneto da flor triste

Sabia que você, florzinha linda,
É a forma ideal? Esse jardim,
Essa melancolia de ser finda -
Que um dia é bela, e outro tão chinfrim -

Já fazem de você um esplendor
Tão breve, que é preciso atentar
A não perder o tempo em que o amor
Golfeja suas pétalas no ar.

Porque daqui a pouco alguma chuva,
Florzinha, o Sol, o vento ou o sereno,
Dessa beleza a farão viúva.

Mas não fique tão triste, não, que eu,
Enquanto o viço ainda lhe vigora
Na carne, a espezinho sem demora.


 
Site feito por 
Fernando Fagundes