O sofrimento de um amigo durante sua vida inteira

De um píncaro frondoso, um pequeno
Floco de neve, súbito, despenca.
Qual avalanche vai-se na tormenta,
Derribou-se o pontinho no sereno.

Não houve o que o fizesse regredir
A tamanha incerteza do destino.
Tal se foi, lamentando seu caminho,
Negando-se ao que havia em seu porvir.

Eis que, durante tantas e tamanhas
Tristezas, ao seu lado lhe aparece
Uma pedra escura e toda canha.

Abismado por vê-la sem estresse,
Quis saber-lhe o floquinho sua manha.
"Da penúria", lhe disse, "fiz benesse.".


 
Site feito por 
Fernando Fagundes