O levante dos leporídeos

Ábsono aos costumes milenares,
Sobre os quais se sustinha o engenho
Do mundo, um coelhinho, no alvo cenho
Ostentando o enojo de seus pares,

Tencionava um levante dos milhares
De irmãos leporídeos, num empenho
Desmedido. Há tempos seu terrenho
Fora tomado, e o coelho, aos ares.

Seria este o fim do grão-reinado,
Das longas cabeleiras anafadas,
Dos rugidos sonoro-sortilégios?

Ah! não tardou e estrou-se a notícia
De que da coelhada a impudicícia
Tolhera a luta pelo poder régio.


 
Site feito por 
Fernando Fagundes