Ode a Vinicius

Assim como Virgílio guiou Dante
Pelas águas escuras do Estige,
E como a Dionísio o mesmo rêmige
Caronte embarcou rumo ao distante;

Guia-me tu, poeta dos amores
Vários, que em teu coro cantaremos
Da vida as alegrias mais supremas,
E em contraponto tu dirás as dores,

Que convalescem juntas na escala
Do entender-se humano. E de Valhala
Os sátiros nos hão de acompanhar,

Meu poetinha, pois que teu cantar
É a chave das plagas mais supernas,
Onde a chama do amor sustém-se eterna.


 
Site feito por 
Fernando Fagundes